24 de novembro de 2014

A Direita se Levanta e Já se impõe. Humoristas ridicularizados e filósofos ovacionados em praça pública. Um novo Brasil.

A Direita se Levanta e Já se impõe. Humoristas ridicularizados   e filosofos ovacionados em praça pública. Um novo Brasil.
Chega de palhaçada. Chega de idiotização da Sociedade. Há Muito tempo NÃO se via há protestos Pais em that PESSOAS manifestavam Realmente SUA indignação. Pouca ludicidade, poucas brincadeiras e Muita seriedade naquilo Que se deseja Pará o país. Quem vai pra rua em pleno sábado Faz ISSO parágrafo demonstrar Que ESTÁ insatisfeito.
Ha sândalo publicamos andamento here : "Chegou a hora de representar o dia-a-dia com exatidão e seriedade, de Dizer O Que Realmente achamos, rodeios SEM, brincadeirinhas e maquiagens Pará" doer menos ". Se Você esta indignado, expresse SUA indignação com As Palavras e Gestos certos. Se ISSO para FEITO coletivamente Sera Um país grande aditivo parágrafo Uma Mudança em reais Nosso ".
Fazer Coisas como com seriedade Não É "odio". Mais uma vez NÃO PODEMOS CAIR na panfletagem esquerdista. NÃO PODE-se atenuar tão Demandas Só Para Que a Esquerda NÃO Fique ofendidinha.
Na passeata em plena Avenida Paulista, um manifestante, ridicularizando o humorista Guga Noblat, do CQC Programa, Disse algo interessante, Meio that profético: "você Já Perdeu o Emprego não also CQC?". O repórter, sem Nenhum Poder de argumentação, se limitava a Dizer: "Ódio, Ódio" e ameaçar OS manifestantes dizendo que iam Sor ridicularizados no Programa de segunda-feira. 
Na passeata em plena Avenida Paulista, um manifestante, ridicularizando o humorista Guga Noblat, do CQC Programa, Disse algo interessante, Meio that profético: "você Já Perdeu o Emprego não also CQC?". O repórter, sem Nenhum Poder de argumentação, se limitava a Dizer: "Ódio, Ódio" e ameaçar OS manifestantes dizendo que iam Sor ridicularizados no Programa de segunda-feira. Um Jovem rapaz, Ao lado de Noblat, Que se o defendia de forma apaixonada, VÁRIAS also Dizia vezes "que Ódio, that odio". Guga Noblat, POR SUA vez, Disse Que o manifestante, that o filmava, gays odiava. He also mencionou algumas vezes Sobre o TAMANHO de orgão genitais. Logo O CQC não Lançamento fazer Programa Teve Audiência grande, mas, na MESMA Medida em Que Procura CUSTE O Que Custar Defende o Governo Atual em SUAS "Reportagens", seu ibope cai.


Um rapaz, ao Lado de Noblat, Que se o defendia de forma apaixonada, VÁRIAS also Dizia vezes "que Ódio, that ódio". Guga Noblat, POR SUA vez, Disse Que o manifestante, that o filmava, gays odiava. He also mencionou algumas vezes Sobre o TAMANHO de orgão genitais. Logo O CQC não Lançamento fazer Programa Teve Audiência grande, mas, na MESMA Medida em Que Procura CUSTE O Que Custar Defende o Governo Atual em SUAS "Reportagens", seu ibope cai.
A avenida Paulista TEM Sido lotada de gente Que desaprova como Ações do Governo Atual, Nao concorda COM o Uso de hum Sistema de apuração de sponsored que e impossivel de Ser auditado POR UMA PESSOA Comum, e QUER that Lula e Dilma responsabilizados Sejam POR SEUS Erros e de SEUS auxiliares. ISSO TEM Tudo Gerado Enorme incomodo na Esquerda, that NÃO SABE Muito Bem Como se comportar Diante de Uma Oposição Ativa. Estavam acostumados em Ser o Único protagonista das Ruas. Mas Esse ritmo Acabou.
Uma reportagem recentemente Publicada nenhum site chapa branca Diário do Centro do Mundo, Sobre a Manifestação de 15/11, Chama a Atenção Pela sutileza em que "destila Seu odio" QUALQUÉR contra hum Que FUJA dos Padrões prescritos Pela Esquerda. Vejam:
" A maioria das Pessoas Vestia Camisetas da Seleção Brasileira OU Roupas com núcleos that lembravam uma bandeira nacional. Um rapaz levava uma bandeira do Estado de São Paulo. Camisas Polo Abundantes ERAM ".
Perceberam?   "__ Camisas Polo Abundantes ERAM".
Uma FOI Maneira covarde de tentar Dizer Que a maioria das Pessoas das manifestations NÃO pertencia à parcelas Humildes da Sociedade. Semeando o Ódio, a Esquerda continua Plantando Sementes de imbecilidade em SUA militância. Por ISSO Discurso de Luta de Classes permanece Como hum dos Mais Usados. Considerando o inconsideravel, that Camisas gola Pólo comprovem o Poder aquisitivo de Alguém, observar uma Abaixo fotografa, tirada cabelo celular do cantor Lobão. Camisas Quantas Polo PODEMOS Contar? Acho Que São poucas. Mas, Chega de ENTRAR nessa cretinice. PODEM Esperar, daqui a POUCO Vão Contar como Camisas pretas e Dizer Que São skinheads, neonazistas etc.

Ódio E cuspir na cara de Idosos. Ódio e pichar a frente da casa de Militares Que lutaram Pará impedir Que o comunismo destruísse Nosso país. Ódio E OS assaltar Cofres Públicos, pilhando o Dinheiro Que daria Pará Construir centenas de hospitais, Formar milhares de Médicos e comprar inúmeros Equipamentos Que faltam Hoje na Saúde Pública de Nosso país.

Outro Fato interessante, that NÃO poderia deixar de Ser mencionado, E o Fato de Escritores, Economistas e filosofos Serem citados NAS manifestations contra o Partido dos Trabalhadores. Cartazes com nomos Como Olavo de Carvalho, Vistos Mises e Reinaldo Azevedo were nd paulista. ISSO prova that Esse povo Que ESTÁ Pssaro SABE Muito Bem O Que ESTÁ Fazendo, e Que estao assentados Sobre alicerces Bem construidos. De: Não desistirão ante como Dificuldades Que aparecerão.

Na MESMA Medida em Que a Sociedade se Torna Mais esclarecida e atuante, a Esquerda ESTÁ num Crescente de Desespero Que OS Faz ceder um SUA Tendência autoritária, cerceando o Direito de Expressão dos manifestantes, taxando QUALQUÉR comentário de "Ódio" e proibindo como Grandes Redes de TV de cobrir OS eventos. Mas ISSO POR acaba surtir Efeito Contrário.

Um grande Exemplo Disso São como Estratégias ágora Usadas Pará Transmissão das manifestations. Já Que Parece Que há Uma proibição de that OS protestos foraPT Sejam cobertos Pela Mídia, a Sociedade TEM SEUS PROPRIOS CRIADO Canais de Transmissão e Já espera-se Que a Manifestação do dia 29 SEJA POR transmitida Vários Voluntários. Veja Aqui Como transmitir o Evento online.


Robson AD Silva - http://sociedademilitar.com.br

23 de novembro de 2014

Manifestações anti-pt. São Paulo avenida Paulista e Rio de Janeiro, Copacabana.

Manifestações anti-pt. São Paulo avenida Paulista e Rio de Janeiro, Copacabana.
29 de novembro. Revoltados online, pesadelo dos políticos e outros grupos.

22 de novembro de 2014

21 de novembro de 2014

Rio vive estado de guerra. Marginais oferecem recompensa pela morte de policiais.


Se não fosse a ação dos militares das Forças Armadas o Rio de Janeiro seria um lugar praticamente sem segurança. O efetivo da policia militar não tem sido suficiente para dar conta da crescente onda de criminalidade. Quem trafega pela avenida Brasil somente se sente relativamente seguro por conta da presença constante dos militares do Exército e Marinha.

Não há salário que retribua o serviço que a policia militar e membros das Forças Armadas têm realizado no Rio. Os militares arriscam sua vida em serviço e fora de serviço.

Essa semana os jornais cariocas publicaram uma nota que para nós é gravíssima. Providências imediatas deveriam ser tomadas. A facção criminosa que age na Vila Cruzeiro oferece uma recompensa de vinte mil reais para quem assassinar um sargento que tem cumprido com precisão o ser dever na Unidade de Polícia Pacificadora local.

O militar não se intimidou e continua realizando seu serviço. O comando da Polícia Militar reforçou as equipes que trabalham com o militar, que terá seu nome preservado.

19 de novembro de 2014

Bolsonaros encurralados? Todas as evidências indicam que Partido Progressista é cúmplice do PT no PETROLÃO.


Para os investigadores da operação Lava Jato, o depoimento mais importante dos prestados pelos executivos de empresas é o do vice-presidente da Mendes Júnior, Sérgio Mendes. Ele admitiu que pagou R$ 8 milhões em quatro parcelas, entre julho e setembro de 2011, após, segundo ele, sofrer extorsão para que não houvesse rompimento de contratos com a petrolífera brasileira.

Os investigadores tem cada vez mais reforçada a suspeita de que os desvios tinham como destino o caixa 2 de partidos da base aliada do governo, especialmente PT, PMDB e PP.

Recentemente o deputado Jair Bolsonaro apresentou seu nome à executiva de seu partido, o PP, para que fosse endossada sua candidatura para Presidente da República. O PP, em decisão polêmica, não aceitou, e resolveu permanecer aliado do Partido dos Trabalhadores nas eleições passadas. A decisão gerou bastante discussão entre a executiva nacional e membros do partido.

Jair Bolsonaro permaneceu como candidato a Deputado Federal, sendo o mais votado do Rio de Janeiro. Só a quantidade de votos que recebeu no Rio o colocaria na sexta posição na disputa presidencial. Outrossim, Jair Bolsonaro receberia votação expressiva em outros estados da federação. Entendemos que se o PP endossasse sua candidatura, Bolsonaro receberia cerca de 5 milhões de votos, e ficaria em quarto lugar na disputa eleitoral, bem a frente de Luciana Genro.

Flavio Bolsonaro, também do Rio de Janeiro, foi candidato a deputado estadual pelo PP. Foi eleito com pouco mais de 160 mil votos.

Os dois políticos acima citados são críticos ferozes do Partido dos Trabalhadores. Se já não cabiam mais na base aliada do governo há algum tempo, imaginamos que agora sua situação fica mais complicada ainda. Seus eleitores são, antes de tudo, definitivamente contra o PT e seu “projeto” para o Brasil. Pra piorar as coisas, Jair Bolsonaro, com sua expressiva votação, acabou arrastando de carona Fernando Jordão, da coligação. Ou seja, mais um para ajudar o PT na consecução de seus planos para o Brasil.

Grande parte dos eleitores de Jair Bolsonaro que freqüentam as páginas da Revista Sociedade Militar deixam claro que está mais do que na hora desses políticos pularem fora do Partido Progressista. Os Bolsonaros fazem parte do grupo selecto que consideramos como bastiões da defesa de pilares fundamentais para a construção de um grande Brasil, que são: liberdade, honestidade, patriotismo, família e meritocracia.

Infelizmente, nesse caso, a legislação eleitoral funciona como um tipo de algema, a mudança de partido só é permitida nos seguintes casos (Resolução 22.610 do TSE):  1) incorporação ou fusão de partido; 2) criação de novo partido; 3) mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário; e 4) grave discriminação pessoal. 

Por outro lado, para felicidade de seus eleitores e de grande parte da sociedade de direita, conservadores, liberais e/ou anti-esquerda, o deputado Jair Bolsonaro declarou recentemente que pretende concorrer para a presidência do país em 2018. Pelo Partido Progressista, aliado de Dilma e Lula, essa possibilidade é praticamente nula. Como poderia então ser feito?
“Eu pretendo disputar como presidente da República. Se o meu partido não sinalizar para isso, eu vejo para onde eu posso ir. A direita tem cara, tem voto, tem vergonha na cara”

Uma pausa. No final de 2013 estivemos cobrindo um evento realizado no Rio de Janeiro. Foi um congresso do Partido Militar Brasileiro. Bolsonaro estava presente e em sua fala destacou a necessidade da honestidade na política. O Deputado disse ainda, em tom de aconselhamento aos membros do novo partido, que a independência política/financeira que possui, lhe proporciona a oportunidade de perseguir seus objetivos sem nenhum tipo de dívida a pagar com financiadores de campanha, o que chamou de “rabo preso”. Naquele dia passamos a cogitar se o Partido Militar não estava incluído nos planos futuros de Jair Bolsonaro.

O partido militar está ainda por ser regularizado. Mas, em fase adiantada de coletas de assinaturas, a sigla apresenta-se como única opção plausível para os planos já anunciados de Jair Bolsonaro, já que a legislação abre uma “janela” para mudança de partido no caso de este ser recém criado. Acredita-se que acompanhariam Bolsonaro seus filhos e mais alguns políticos. Não há dúvida de que  Augusto Rosa, presidente do PMB e eleito deputado federal por São Paulo também deve mudar de partido assim que o PMB for regularizado.

Outros que muito provavelmente migrariam para o PMB seriam Eduardo Bolsonaro, eleito por São Paulo e o astronauta Marcos Pontes, que teve votação expressiva, mas não foi eleito. Se acertarmos em nossas previsões o PMB deve nascer já como um partido forte, com pelo menos três deputados federais e um estadual. O Partido Militar tem tudo para preencher uma lacuna obvia dentro da política brasileira, um partido realmente de oposição contra tudo o que de mau tem sido feto contra o Brasil.

O país vive um momento complicado. A direita tem comparecido às ruas para exigir a apuração dos recentes casos de corrupção e já aproxima-se o fim do ano, época em que os ânimos se esfriam um pouco. Acreditamos que logo no início do ano que vem alguma notícia interessante nesse sentido deve ser veiculada, pois sabemos que o Partido Militar precisa adiantar seu processo de coletas de apoiamentos para que possa participar das eleições de 2016, e nada melhor para isso do que o empenho de grandes nomes da política, como os citados acima.
Robson A.D. Silva – Revista Sociedade Militar.