23 de agosto de 2014

Ofício do EB

Revista Sociedade Militar

ENZO estaria ACHINCALHANDO Dilma. Site esquerdista mais famoso do país dá uma de alcoviteiro é quer forçar uma intriga entre Exército e Executivo. Por que isso interessa para alguns?


Alcoviteiro atualmente é palavra pouco usada, mas principalmente os mais antigos sabem muito bem o que significa. Mexeriqueiro, intrigante; fofoqueiro e coisas do tipo são alguns sinônimos.


Parece que o 247 assume exactamente essa postura ao publicar artigo de Luis Claudio Cunha que diz que o Exército estaria axincalhandio Dilma. Eles pretendem jogar Dilma contra o exército?
O artigo é intitulado:“DILEMA URGENTE DE DILMA: OU DEMITE O GENERAL OU EXTINGUE A CNV”, que circula rápido pela internet, para deleite dos sites esquerdistas, a essa hora ele já deve ter chegado por umas “enes” fontes diferentes na caixa da presidente Dilma. O autor é Luis Claudio Cunha. O texto, resumindo, diz que Enzo desafia a autoridade de Dilma Roussef e que a envergonha diante da sociedade brasileira.
Para entender melhor isso é bom saber um pouco sobre quem escreveu texto. Cunha é jornalista e há alguns anos fez uma série de reportagens sobre a operação Condor, publicadas na revista Veja. Pelo trabalho recebeu o premio Esso de jornalismo. Em setembro de 2012 o jornalista foi convidado pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça Gilson Dipp e pela advogada Rosa Cardoso para atuar como consultor do grupo de trabalho da Operação Condor. Contudo, Cunha é demitido da CNV apenas alguns meses depois. Segundo ele mesmo, a demissão foi uma espécie de censura. Vejam o que disse Sobre a própria demissão.
No final da manhã desta terça-feira, 2 de julho, fui inesperadamente comunicado de meu afastamento da Comissão Nacional da Verdade (CNV). Ali atuava como consultor do Grupo de Trabalho da Operação Condor, formalmente convidado desde setembro passado pelo ministro do STJ Gilson Dipp e pela advogada Rosa Cardoso. De repente, contra o voto divergente de Cardoso, fui punido pela decisão irrecorrível de quatro comissários — Paulo Sérgio Pinheiro, José Carlos Dias, Maria Rita Kehl e José Paulo Cavalcanti — pelo suposto delito de opinião. “
Segundo o jornalista, um artigo que escreveu, chamado “A comissão de frente da mentira: quem teme a verdade sobre a ditadura?”, foi a causa da demissão. No texto ele critica o posicionamento de alguns membros do alto escalão da república, para ele estariam prejudicando o trabalho da CNV.
O Brasil descobriu nos últimos dias que a tropa de elite dos altos escalões da República que combate a verdade é mais forte e abusada do que se imaginava. Cerram fileiras ali, entre outros, o Ministro da Defesa, comandantes do Exército e da Marinha e até mesmo um dos sete ilustres membros da Comissão Nacional da Verdade (CNV), que deve ser a primeira trincheira de seu resgate perante o país.”
Em meio a varias acusações encontradas uma delas chama a atenção. O jornalista e então membro da CNV reclamava de que o comandante do Regimento de Cavalaria Mecanizada em São Borja tenha se negado a fazer a segurança do túmulo de João Goulart. O tenente-coronel André Alves teria respondido à pedido da prefeitura local, depois de consultar seu superior imediato, General Antônio Miotto, que “a área não é jurisdição das Forças Armadas”, e que por isso a segurança deveria ser feita pela polícia estadual.
No artigo Cunha ironizou essa postura, dizendo: “Estranho seria se fosse. Exércitos não existem para patrulhar cemitérios, embora a História mostre que eles costumem povoá-los com os mortos de guerras ou de golpes de Estado que eles patrocinam”. 
Ora, qualquer um cidadão há de concordar com o General, realmente não cabe a uma força como o exército realizar uma missão desse tipo.
Mas o ranço não acaba aí, Cunha vai mais longe e diz que houve uma espécie de conspiração, um conluio entre os altos escalões do Exército para que não se destacasse três ou quatro soldados para guardar um cemitério.
“uma recusa institucional do Exército...  parece óbvio que a recusa tenha sido acertada dentro da escala de comando. Pela cadeia hierárquica, progressivamente, o general Carlos Bolívar Goellner (comandante Militar do Sul), o general Enzo Martins Peri (comandante do Exército em Brasília) e o chefe de ambos, o embaixador Celso Amorim...”
Sem mais delongas esse retrospecto serve, no meu ponto de vista, para mostrar que não é de hoje que esse cidadão tenta afetar de alguma forma a imagem dos militares brasileiros. Taxando-os de insubordinados e conspiracionistas.
No texto publicado nessa sexta-feira (22 de agosto), Cunha diz que a presidente Dilma acordou estarrecida, e fala como se estivesse lá na manhã de sexta feira. Ele diz que Dilma está num dilema terrível, que deve optar entre o Comandante Enzo e a manutenção da Comissão da Verdade.  Veja.
A presidente Dilma Rousseff acordou estarrecida nesta sexta-feira, 22, como qualquer brasileiro que se respeita.  E diante de um dilema inadiável, indelegável, inquestionável.
O globo publicou na sexta pela manha um artigo chamado “Anos de chumbo: comandante impõe silêncio ao Exército - Unidades da força são obrigadas a não colaborar com as investigações sobre os crimes da ditadura”.
No texto, Chico Otávio comenta sobre a Ordem de Enzo, que determina o que todo comandante já sabe, que em assuntos que podem afetar a força como um todo, as informações devem ser repassadas ao solicitante pelo comando central.
Qualquer um pode entender que em uma instituição tão grande como é o Exército Brasileiro é natural que questões importantes e de grande repercussão sejam tratadas pelo comando maior. Contudo, se você pensa assim, pelo menos para o jornalista Luis Claudio Cunha  você é uma pessoa que não se da ao respeito.
O ofício de Enzo diz: “... A respeito do assunto, informo a esse comando que pedidos/requisições de documentos realizados pelo Poder Executivo, Poder Legislativo, Ministério Público, Defensoria Pública e missivistas que tenham relação ao período de 1964 a 1985 serão respondidos, exclusivamente, por intermédio do gabinete do comandante do Exército".
Cunha vai mais longe ainda e tenta amedrontar Dilma Roussef.
“Cabe a ela, e a mais ninguém, repor a autoridade de seu comando e o prestígio de seu cargo. Se nada fizer, Dilma perderá ambos — a autoridade e o prestígio. Tudo isso em meio a uma brava campanha eleitoral, que não permite hesitações ou fraquezas. À esquerda ou à direita... O general Peri não está zombando apenas da CNV. Está achincalhando a autoridade da comandante-suprema, a presidente da República.”
“Causa perplexidade o Hospital Central do Exército não ter autonomia para entregar ao Ministério Público Federal registros dos prontuários de presos políticos. Trata-se de mais um fato vergonhoso...”
Não, nada disso causa espanto à pessoas sensatas. Os militares do exército, assim como das outras duas forças, falam todos a “mesma língua”. O ofício é de três meses atrás e é redundante, apenas reafirma um procedimento usual.
Tanto Cunha como Chico Otávio tentam fazer tempestade em copo d’água.  
Será ranço por ter sido demitido da CNV? Ou talvez o jornalista deseje ter em sua biografia o mérito de ter sido causador da queda de um comandante do Exército. Obviamente isso é quase impossível de ocorrer, já que - para deleite de uns e ódio de outros - o General Enzo, ao que parece, muito mais submisso à Dilma Roussef do que muitos desejariam.
Robson A.D.Silva

22 de agosto de 2014

Hamas executa 14 pessoas a sangue frio. Chamam de tribunal revolucionário. O nome soa familiar?

Hamas executa 14 pessoas a sangue frio. Chamam de tribunal revolucionário. O nome soa familiar?
Pois é, o Hamas, que suscitou tantos manifestos e notas de repúdio dos politicamente corretos, decidiu executar 18 homens em via pública, pra dar o exemplo. Os “condenados” teriam fornecido informações ao governo de Israel. Alguns dos homens foram executados em frente a uma mesquita no momento em que os fieis saíram da celebração.

Segundo o Hamas: Todos os colaboracionistas serão julgados por tribunais revolucionários e receberão as penas previstas para este delito — afirmou esta fonte, referindo-se aos tribunais secretos criados pelos movimentos palestinos em Gaza.
As execuções ocorreram um dia depois de terem sido mortos três comandantes do braço armado do Hamas num ataque aéreo israelita a um edifício em Rafah (sul da faixa de Gaza).
Mas não ficou só nisso. O Hamas lançou novos morteiros contra Israel, um deles matou uma criança de apenas 4 anos de idade.
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que o grupo terrorista pagará um preço alto pela morte.
Será que as entidades politicamente corretas daqui do Brasil vão emitir um manifesto anti-hamas?

20 de agosto de 2014

Sites esquerdistas atacam BONNER por ter questionado DILMA sobre os mensaleiros e a desonestidade de membros do governo. “TENTATIVA de MASSACRE” diz o site 247.


O site 247, enquanto nas abas laterais exibe anúncios da Petrobras e da Caixa, veste Bonner de presidente e o acusa de querer aparecer mais do que Dilma, além de tentar massacrá-la.
“um dia depois de interromper a presidente Dilma Rousseff 21 vezes em entrevista de 15 minutos, William Bonner é visto não como jornalista, mas como político”
A primeira pergunta de BONNER foi sobre os vários ministros demitidos por corrupção.  A questão que eu lhe faço é a seguinte: qual é a dificuldade de, desde o início, se cercar de pessoas honestas, que lhe permitam formar uma equipe de governo honesta e que evite esta situação que nós vimos de repetidos casos de corrupção? Não há uma sensação, não pode haver uma sensação no ar de que o PT descuida da questão ética ou da questão da corrupção?
Dilma não respondeu objetivamente, enrolou e ao final disse que nem todos eram corruptos. Se apenas um dos auxiliares escolhidos por Dilma fosse corrupto isso já seria intolerável. Afinal ela é a Presidente da República. Veja a conclusão de sua resposta.



“... nem todas as denúncias de escândalo, Bonner, resultaram em, realmente, a constatação que a pessoa tinha de ser punida e seria condenada. Pelo contrário. Muitos daqueles que foram identificados como tendo, pela mídia, como tendo praticado atos indevidos, foram posteriormente inocentados.”

Dilma também desconversou quando perguntada sobre as razões que levam o PT a tratar os mensaleiros como heróis.  Bonner sem nenhum pudor os chamou de corruptos.
“E o seu partido tratou esses condenados por corrupção como guerreiros, como vítimas, como pessoas que não mereciam esse tratamento, vítimas de injustiça. A pergunta que eu lhe faço: isso não é ser condescendente com a corrupção, candidata? “
Dilma não respondeu a pergunta, disse apenas que não discutiria decisões do STF. “ Eu não julgo ações do Supremo. Eu tenho as minhas opiniões pessoais.”
Artigos como o do 247 tentam fazer parecer que “as redes sociais” condenam entrevistadores que perguntam o que os candidatos não desejariam ouvir, tem o intuito de dissuadir questionamentos duros que possam vir em novos eventos do tipo.

17 de agosto de 2014

Candidata reclama da DESIGUALDADE gerada pela questão financeira nas CAMPANHAS. “como pode um candidato gastar 7 milhões !”


Para aqueles que não são políticos profissionais as campanhas eleitorais se tornam extremamente desgastantes e desiguais. É notório que esse ano ocorre certo reagrupamento da direita brasileira. Com isso surgira vários candidatos ligados aos militares e a grupos anti-esquerda. Temos três generais, vários coronéis e dezenas de sargentos concorrendo a cargos políticos, isso jamais havia sido registrado.

Em sua esmagadora maioria esses candidatos são pessoas comuns, apenas acreditam que o legislativo brasileiro deve ser renovado, e se dispuseram a lutar por esse ideal. Mas como fazer isso se grande parte dos candidatos “investem” quantias exorbitantes em suas campanhas, enquanto outros, embora bem preparados e com bons projetos em mãos, não tem mais do que o próprio salário para gastar?
No ano de 2012, LUIS PITTIMAN, um dos candidatos eleitos com menor número de votos no Distrito Federal, gastou R$ 1.989.700,05 para obter pouco mais de 51 mil votos. Cada voto custou a ele R$ 38 reais.  A candidata menos votada, e eleita, para deputada distrital foi CELINA LEAO. Ela recebeu 7,7 mil votos tendo investido R$ 390.000 em sua campanha. Cada voto recebido custou cerca de 50 reais.

Para receber 50 mil votos, um candidato precisaria convencer, em apenas três meses de campanha, cerca de 555 pessoas por dia. Isso é humanamente impossível para quem vive de salário, e não tem recursos suficientes para contratar pessoas, contratar automóveis, alugar prédios para comitês etc.
Notem que é importante também lutar pelo legislativo estadual, para que em outros pleitos não venha-se padecer com a falta de estrutura, como ocorre agora.
A candidata Mirian, do Distrito Federal, faz um desabafo interessante e que serve de alerta para todos que acham que é hora de mudar. Os nos engajamos nas campanhas de nossos representantes, ou tudo ficará do mesmo jeito.
A candidata disse que recentemente foi acusada de ter um único defeito, que seria: “não ter dinheiro pra campanha”.
A não ser que a categoria que represente realmente resolva se engajar nas campanhas, a batalha está cada vez mais árdua para aqueles que se colocam na linha de frente na guerra pela moralização dos legislativos nacional e estadual.


16 de agosto de 2014

Monitorando os MOVIMENTOS. MTST ganha moradias de Haddad.


Os chamados “movimentos sociais” ganharam destaque nos governos do PT. Puderá, é uma contrapartida que o partidão dá para seu exército, que todas as vezes que é convocado comparece em peso com disposição para a luta, e mais do que isso, serve também como uma grande arma de dissuasão, como todo grande exército. Qualquer um que pense em combater a esquerda brasileira tem que levar em consideração a possibilidade de ter que enfrentar algum ataque por parte de “movimentos sociais” ligados à esquerda.


Essa semana o MTST foi presenteado com moradias, uma espécie de incentivo para que continuem sua lealdade à esquerda atual. A Prefeitura de São Paulo aprovou a proposta que regulariza a construção de moradias na invasão conhecida como Copa do Povo, em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo. Obviamente a administração pública nega favorecimento aos sem-teto. O prefeito paulista ainda retirou da lei uma cláusula que determinava que a fila de cadastrados nos programas fosse respeitada, abrindo mais uma brecha para que os membros do MTST sejam favorecidos.
O autor da lei, o vereador Police Neto (PSD), afirma que foi procurado pela prefeitura para que incluísse no projeto o item que permitia a construção de moradia na invasão acima referida. O acréscimo visava a atender as reivindicações do MTST, que pressionou os vereadores com um acampamento montado em frente à Câmara Municipal de SP. Na ocasião, o Ministério Público do Estado havia alertado sobre a ilegalidade da proposta caso ela fosse incorporada ao PDE, que estipula as diretrizes para o crescimento da cidade nos próximos dezesseis anos.
No site do MTST percebe-se que o movimento é cada vez mais organizado e pretende ampliar “seus horizontes”. Percebe-se que combate tenazmente contra as tentativas de esclarecer a sociedade sobre os riscos de se ter um grupo organizado de forma paramilitar. Nos últimos dias eles tem promovido debates públicos para discutir forma de combater o que chama de “criminalização de movimentos sociais”.

11 de agosto de 2014

Governo do PT investe 4,1 milhões em LUAN SANTANA.

Governo do PT investe 4,1 milhões em LUAN SANTANA.
O governo federal age como se houvesse dinheiro sobrando, como se houvesse saúde muito boa para todos. Dinheiro gasto com shows em época de eleição é algo que soa muito estranho.
Cultura inútil? Desculpa é “difundir as raízes sertanejas enquanto manifestação cultural e artística”.
A turnê para divulgar o DVD "Nosso tempo é hoje", que foi lançado no final de 2013 por Luan Santana custará aos cofres públicos a bagatela de 4,1 milhões de reais. Entre os objetivos do projeto proposto ao MinC pela empresa LS Music Produções, que gerencia a carreira de Luan, estão "difundir as raízes sertanejas enquanto manifestação cultural e artística a partir da música romântica, além de sua história e influência na formação da sociedade contemporânea", e "promover acesso a entretenimento musical de qualidade", diz o texto da proposta feita pela produtora de Luan.
O governo deverá bancar até as passagens aéreas usadas pela equipe de 40 pessoas do cantor.

A empresa diz ainda que haverá uma percentagem gratuita de ingressos que será distribuída em associações assistenciais e instituições responsáveis por jovens e adultos em áreas periféricas das cidades onde ocorrerão os shows.


9 de agosto de 2014

Ratos valem muito na Câmara do Rio de Janeiro. Ratos mesmo.


Dentro ainda da lista de escândalos que afloram todos os dias depois das denuncias de que uma ONG espírita, responsável pelo cadastramento em programas sociais, pagava “mesada” de R$ 74 mil para o deputado federal Rodrigo Bethelem, do PMDB, surge um que ainda foi pouco explorado pela mídia carioca. Cumpre questionar o motivo de uma ONG espírita ser contratada para um serviço de tal importância. Programas sociais, se administrados incorretamente, podem ser utilizados para diversos fins, inclusive eleitoreiros.
Uma empresa foi contratada para administrar a TV da Câmara. Se chama SCMM. O contrato foi de 10 milhões de reais. Foi celebrado em maio de 2010 pelo presidente da Câmara, vereador Jorge Felipe (PMDB), que é ex-sogro de Rodrigo Bethlem. A empresa doou R$ 50 mil pra a campanha de Rodrigo Bethlem apenas dois meses depois do contrato ser assinado.

Durante a vigência do contrato a empresa mudou de diretoria, passou a ser gerida pela Locanty, mas o contrato com a câmara foi mantido. Nessa terça (06/08) jornais cariocas informaram que a SCMM recebeu uma transferência financeira no valor de R$ 84 mil da ONG Tesloo, citada no inicio desse texto, que prestava serviços para a Secretaria Municipal de Assistência social para cadastramento em programas sociais, a ONG é acusada de pagar a tal mesada, de R$ 74 mil para o deputado Bethlem.

Depois de algum tempo o contrato foi rescindido com a empresa, mas curiosamente uma das administradoras da nova empresa contratada, chamada SPACE, fazia parte da SCMM. Ou seja, há indícios de que tudo permanece nas mesmas mãos, apenas com nomes de firmas diferentes.
A mesma empresa venceu  outra licitação na Câmara para desratização do ambiente. O valor deste contrato foi de R$ 4,5 milhões (Isso mesmo, 4,5 milhões) e o prazo para execução do serviço foi de 180 dias a contar de 1/06/2014.

Vamos especular um pouco. Já que o dinheiro é proveniente de nossos impostos será interessante ver a lógica desses contratos, muitas vezes esdrúxulos. Se a Câmara Municipal tiver 50 ratos para cada um dos 51 vereadores o número de roedores chegará a 2.550. Contudo, uma infestação desse tamanho é muito improvável. Mas, mesmo assim façamos a conta. Se o objeto principal do contrato é a realmente a desratização, conforme diz o jornal O Globo de 07/08, ao valor de R$ 4.499.272,86 a morte de cada rato, na proporção colocada acima, custará aos bolsos dos cariocas a quantia de R$ 1.764,42.

Em 2012 o Ministério da Justiça contratou uma empresa para realizar serviços similares aos realizados na Câmara do Rio de Janeiro. A higienização e desratização foi realizada em 11 edifícios e quartéis da Força Nacional, o valor estipulado foi de pouco mais de R$ 80 mil. Veja extrato do contrato, ao lado. Ou no link:

5 de agosto de 2014

Direita Volver. Presidente do Foro do Brasil é candidato à Deputado Federal. Luta contra o “Enfraquecimento das Forças Armadas”.


O médico Ronaldo Fontes, presidente do Instituto Foro do Brasil, presidente do Partido Ordem e Progresso e diretor da ADESG – SP, se apresenta à sociedade como candidato para deputado federal. Como o Partido Ordem e Progresso não obteve ainda a regularização o médico se candidata pelo PTC do Estado de São Paulo.


Em entrevista recente (maio de 2014), conduzida pelo Dr. Ives Gandra Martins, Ronaldo Fontes se declarou como “patriota, não nacionalista” e contrário aos ideais comunistas. Uma das frases mais importantes ditas por fontes na entrevista foi: “... a população está sendo levada a se jogar um contra os outros, mediante essas diferenças de classe, cor, sexo... O que é na realidade um erro muito grande. Nossos inimigos não somos nós mesmos, nossos inimigos estão em outros locais.
O médico disse ainda que o Partido Ordem e Progresso dispõe de um planejamento detalhado para ascensão da sociedade brasileira, que já foi experimentado no interior de São Paulo, triplicando a renda média per – capta dos cidadãos em poucos anos. Segundo ele, gastamos 90% do tempo pensando somente na expressão econômica, que é ligada a taxas e índices. Contudo, as outras expressões, cientifico - tecnológica, militar, psicossocial e ambiental, que são bastante ligadas à ética, e que promovem realmente o desenvolvimento, são deixadas de lado.
Há algum tempo, em entrevista a Jorge Serrão, Ronaldo Fontes discorreu sobre o “enfraquecimento das Forças Armadas Brasileiras”. Para ele, “após a abertura política em 1984, elementos de antigos grupos terroristas retornaram ao país, perceberam a fragilidade da democracia, na época, e através do uso da filosofia Gramscista e do Fabianismo, infiltraram-se nas escolas, universidades, igrejas e instituições, promovendo o marxismo, a exacerbação dos conceitos sobre direitos humanos e procurando enfraquecer aquela que seria a única força capaz de deter os objetivos desses grupos em transformar o Brasil numa nação socialista que é em verdade o pré-comunismo: As Forças Armadas.”
Na mesma Entrevista Fontes criticou o atual processo de promoção de oficiais generais. Para ele o critério político causa grande prejuízo ao país.
Os Oficiais Generais são escolhidos pelo presidente da república, ao contrário do restante dos oficiais que são escolhidos por antiguidade ou merecimento. Veja bem professor Serrão, o sr. acredita que um afilhado contestaria o padrinho? Contestaria o sistema que o promoveu? Por aí se explica o cerne que contribui para a redução do poder dissuasório das FAA, assim como as tentativas para acabar com o ensino militar, fechamento dos colégios militares, a desmilitarização das Polícias Militares, que são reservas do Exército na garantia da lei e da ordem. Isso enfraquece nosso poder dissuasório, garantidor de nossa soberania.”
DR. RONALDO FONTES é candidato a Deputado Federal pelo Estado de São Paulo pelo PTC, com o número 3663. Site http://www.politicacomconfianca.com.br/ Facebook https://www.facebook.com/politicacomconfianca
A Revista Sociedade Militar é um empreendimento particular, não vinculado a qualquer partido político ou instituição, governamental ou não governamental. O único compromisso é com a verdade, liberdade, ordem e progresso.

Revista Sociedade Militar. socmilitar@gmail.com


4 de agosto de 2014

Inteligência. Presidente DEPOSTO por militares no EGITO, Mohamed Morsi, foi o grande responsável pela construção dos túneis na Faixa de Gaza. Militantes da Al-quaeda executados sem dó na Somália.


Não fique só com o que a imprensa diz. A irmandade Muçulmana, que tem por objetivo final a destruição de Israel, é a grande responsável pela guerra hoje na faixa de Gaza. O presidente Morsi, deposto por militares do Egito, em ação criticada e taxada de autoritária, foi um grande risco a manutenção da paz no Oriente Médio.


Nesta sexta-feira 25 de julho de 2014 foto, um oficial do exército israelense dá a jornalistas uma turnê em um túnel usado por militantes palestinos para ataques transfronteiriços, na fronteira Israel-Gaza. Muitos analistas disse que a rede de túneis escavados pelos terroristas palestinos da Faixa de Gaza para as comunidades israelenses perto da fronteira foram o estopim para a mais recente guerra entre o Hamas e Israel. 
 "A rede de túneis que permitem que combatentes do Hamas resistam a Operação do Exército israelense foram majoritariamente construídos entre Junho de 2012 e Julho de 2013, durante a presidência de líder da Irmandade Muçulmana, Mohamed Morsi no Egito", disse o site Intelligence on-line em sua última edição datada de 30 de julho de 2014. Morsi também permitiu que o Hamas importasse o cimento necessário para fortalecer os túneis mais profundos, inclusive uma unidade de engenharia egípcia foi enviada para Gaza por um ano para ajudar o Hamas a supervisionar a construção das redes de túneis mais complexas, diz o relatório, acrescentando que os construtores do túnel do Hamas também se beneficiaram do apoio do corpo de engenheiros Hezbollah.

Três homens somalis condenados por assassinatos e facilitando os ataques para a Al-Qaeda ligado grupo Al-Shabab em Mogadíscio aguardam execução por fuzilamento no domingo, 3 de agosto, 2014. Os três homens que foram condenados por um tribunal de Mogadíscio foram executados como parte de um série de execuções contra membros da Al-Qaeda ligados grupos militantes, a AP relatou . As execuções veio uma semana após uma execução semelhante de quatro militantes também condenado por realizar ataques e assassinatos na capital da Somália. Grupos de direitos humanos frequentemente criticam o governo por execuções públicas. No entanto, o governo da Somália considera as execuções de ser impedimentos contra campanha mortal dos militantes. (Crédito Foto: Farah Abdi Warsameh / AP Photo )