2 de março de 2015

Policiais federais reconhecem que contra os caminhoneiros o tratamento foi diferente do que é dado ao MST e outros “movimentos sociais” alinhados com a esquerda.


A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) vem através desta nota se manifestar sobre a atuação da força de choque da PRF no cumprimento de determinação judicial de desobstrução de rodovias federais pelas manifestações dos profissionais da área de transportes.

Ao policial não cabe contestar a lei ou as decisões judiciais. Sua missão constitucional é cumpri-las, sob pena de responder por crime de prevaricação, o que sua omissão, neste caso, poderia resultar em prisão e posterior demissão.

Há de se ressaltar primariamente que a missão fundamental de qualquer entidade sindical é apoiar a atuação legal de seus sindicalizados, razão pela qual manifestamos apoio aos colegas que tiveram de cumprir a ordem judicial.
Não obstante, enquanto cidadãos manifestamos solidariedade à justa causa dos profissionais de transportes que, assim como nós, lutamos por melhores condições trabalho e por um país melhor.
Lamentamos outrossim, a rápida judicialização de movimentos classistas pelo governo (do qual inclusive nossa operação padrão foi vítima em 2012) e o tratamento diferenciado que movimentos “sociais” alinhados ideologicamente com o governo tem tido em situações semelhantes.
Brasília, 25 de fevereiro de 2015.
http://fenaprf.org.br/nota-sobre-o-uso-da-forca-de-choque-da-prf

Revista Sociedade Militar


3 comentários:

Leilah disse...

É vergonhoso mesmo que os ditos "movimentos sociais" formado na maioria por vagabundos tranquem estradas sem ter o mesmo tratamento repressivo que foi dado aos caminhoneiros trabalhadores. Gostaria de perguntar se o site Sociedade Militar foi retirado do ar, pois não consigo acessá-lo.

Anônimo disse...

É revoltante que vagabundos tenham tratamento melhor do que os trabalhadores caminhoneiros. Gostaria de saber se o site Sociedade Militar foi retirado do ar, pois não consigo acessá-lo.

Anônimo disse...

Fui carreteiro duarante 24 anos andei por todo o Brasil inclusive por estradas que deixaram de existir, como Porto Velho Manaus que tornou-se impraticavel.E um Brasil que na era que estamos não se chega rodando em Manaus fluvial ou aereo.
Conheci tambem boa parte parte da America do Sul Chile,Argentina,Uruguai Parguai
Infelizmente a classe de autonomos quebrou por falta de união,mas realmente todo tempo,garimpeiros,sem terra e outros movimentos vem para as rodovias e fazem paralizações e não tem nada.
Quem vive e transporta toda a riqueza deste pais foi e sempre sera descriminado e coagido.
Pois eles sabem que as demais classes estão dispostas a tudo matar morrer.
Ao contrario dos transportadores são uma minoria que pode ser interpelada a força distantes de suas casas e familias.
Mande o governo intervir com MST etc.
Infelizmente pouquissimos brasileiros conhece o seu pais.
Somos uma nação muito rica não temos nenhum estado improdutivo so os que o governo deixa para poder angariar votos.
Coloque este governo no melhor pais do mundo para ver quanto tempo ele aguenta tanta corrupção.
ISSO E UM VERGONHA>